[an error occurred while processing the directive] Lula quer frente de países com florestas para negociar com ricos - Agenda verde - Ansa.it
/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Lula quer frente de países com florestas para negociar com ricos

Grupo incluiria nações amazônicas, Congos e Indonésia

BRASÍLIA, 11 julho 2023, 11:07

Redação ANSA

ANSACheck

Lula quer reunir países amazônicos com Congos e Indonésia - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou hoje (11) que vai criar uma frente de países amazônicos para negociar com o mundo desenvolvido e prometeu atuar fortemente contra garimpeiros e o crime organizado.

Em sua live semanal nas redes sociais, o governante também lembrou a reunião de sábado (8) com seu homólogo Gustavo Petro, na cidade de Letícia, na Amazônia colombiana.

"O Brasil tem potencial excepcional, a gente tem que utilizar isso. Eu fiz uma reunião com a Colômbia neste fim de semana para preparar uma reunião que a gente vai ter em agosto com todos os países amazônicos. Queremos fazer disso um instrumento de negociação com o mundo desenvolvido para que a gente possa se desenvolver e gerar emprego para as pessoas da Amazônia", disse Lula.

O presidente também voltou a cobrar os países ricos pela promessa de doar US$ 100 bilhões por ano a nações em desenvolvimento para ações climáticas. "Até agora esse dinheiro não saiu, e nós vamos atrás. Estamos juntando todos os países que têm floresta na América do Sul, os dois Congos e a Indonésia, que são os países que têm mais floresta em pé", ressaltou.

Na entrevista, Lula ainda disse que "a questão ecológica é um ativo econômico extraordinário para um país do tamanho do Brasil". "Precisamos tirar proveito disso para negociar com o mundo, é um instrumento poderoso de política econômica", acrescentou.

O presidente também prometeu ser implacável contra os responsáveis por crimes na Amazônia.

"Vamos jogar duro com a PF e, se for necessário, com as Forças Armadas para proteger a floresta de queimadas, madeireiros, garimpeiros e o crime organizado que está dentro da floresta fazendo tráfico de armas e de drogas. Vai ser a primeira vez que o Brasil vai apresentar um plano contra a bandidagem do desmatamento na Amazônia. Quem fizer coisas ilegalmente será punido", prometeu. (ANSA)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use