/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Lula defende pesquisar petróleo na Foz do Amazonas

Presidente ressaltou distância da área para a costa brasileira

BRASÍLIA, 11 setembro 2023, 08:27

Redação ANSA

ANSACheck

Lula durante evento pelo Dia da Amazônia, em 5 de setembro © ANSA/EPA

(ANSA) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a defender nesta segunda-feira (11) a prospecção de petróleo na Foz do Rio Amazonas, durante coletiva de imprensa na Índia após participar da cúpula do G20.

"O Brasil não vai deixar de pesquisar a Margem Equatorial. Se encontrar a riqueza que se pressupõe que exista lá, aí é uma decisão de Estado se vai explorar ou não. Mas, veja, é uma exploração a 575 quilômetros da margem do Amazonas. Não é uma coisa vizinha do Amazonas", declarou o mandatário, em meio à controvérsia que opõe os ministérios do Meio Ambiente, de Marina Silva, e de Minas e Energia, de Alexandre Silveira.

A Margem Equatorial se estende da Foz do Amazonas até o Nordeste brasileiro e tem um potencial de 15 bilhões de barris de petróleo, segundo estimativa da Petrobras.

"Você não pode ser proibido de pesquisar. Se tiver o que se imagina que tem lá, você pode discutir se vai utilizar ou não. Mas o Brasil vai fazer aquilo que entende ser do seu interesse soberano fazer", acrescentou Lula.

Atualmente, as atividades de prospecção de petróleo na região estão proibidas pelo Ibama, órgão vinculado ao Ministério do Meio Ambiente. (ANSA)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Ou use