/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Guarda Florestal encontra mais uma ursa morta na Itália

Governador determinou abate da 'F36', mas justiça anulou decisão

TRENTO, 28 setembro 2023, 13:27

Redação ANSA

ANSACheck

Ursos marrons aparecem em florestas da Itália (arquivo) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - A Guarda Florestal de Trento, no norte da Itália, encontrou nesta quinta-feira (28) o corpo de uma ursa, identificada como F36. No início deste mês de setembro, o governador da província, Maurizio Fugatti, havia determinado que ela fosse sacrificada, após episódios de comportamentos considerados agressivos diante de seres humanos que se depararam com ela na floresta.

No entanto, no último dia 11, o Tribunal Administrativo Regional suspendeu a ordem e determinou que ela fosse apenas capturada e mantida sob custódia de um centro de vida selvagem.

Ela foi identificada através do rádio-colar que usava.

Segundo os agentes florestais, um exame preliminar do corpo não determinou a causa da morte, mas associações de direitos dos animais temem que ela tenha sido vítima de caça ilegal e anunciaram que vão pedir uma investigação ao Ministério Público.

Para a presidente do Ente Nacional para a Proteção dos Animais (Enpa), Carla Rocchi, há um "clima de ódio e medo alimentado pela administração" contra os animais.

Já a Organização Internacional de Proteção Animal (Oipa) informou que vai pedir para participar da autópsia, com um perito próprio.

Outra associação, a Animalisti Italiani Onlus, anunciou uma manifestação pela proteção da fauna selvagem, no próximo dia 12 de outubro, em Trento.

F36 tinha seis anos de idade. Em 30 de julho passado, segundo relatos, se deparou com dois jovens excursionistas em uma área florestal.

Um deles conseguiu fugir imediatamente, e o outro tentou escalar uma árvore, foi derrubado pela ursa e depois fugiu, não tendo sido seguido.

Poucos dias depois, em 6 de agosto, a ursa encontrou um casal e teria se comportado "de maneira intimidadora", mas sem contato físico.

Em maio, outro urso, identificado como M62, teve a morte ordenada pelo mesmo governador e a decisão igualmente suspensa pela justiça. Ele acabou sendo encontrado morto, e a autópsia determinou que ele foi vítima de outro urso.

No dia 1º de setembro, outra ursa, Amarena, viral nas redes sociais por suas aparições pacíficas perto de áreas habitadas, também foi encontrada morta. Ela foi atingida por tiros de fuzil disparados por um homem, em Abruzzo, na região central da Itália.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use