[an error occurred while processing the directive] Taxa de 5% para super-ricos do G20 acabaria com fome, diz Oxfam - Economia - Ansa.it
/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Taxa de 5% para super-ricos do G20 acabaria com fome, diz Oxfam

ONG divulgou relatório às vésperas de cúpula de ministros em SP

SÃO PAULO, 27 fevereiro 2024, 11:55

Redação ANSA

ANSACheck

O dono do X, Elon Musk, homem mais rico do mundo - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - Um estudo publicado pela Oxfam Brasil estima que um imposto de até 5% sobre os mais ricos nos países do G20 poderia arrecadar cerca de US$ 1,5 trilhão por ano, quantia que a ONG diz ser suficiente para acabar com a fome global e adaptar as nações em desenvolvimento à crise climática.

"Um sistema justo de impostos poderia frear as desigualdades e promover sociedades mais saudáveis e inclusivas", afirmou Katia Maia, diretora da Oxfam Brasil.

"Impostos mais altos para os super-ricos criariam as condições para investir nas famílias, proteger o clima e oferecer importantes serviços públicos, como educação e saúde, para todos", acrescentou.

As ideias estão alinhadas com a proposta que o Brasil deve apresentar na reunião dos ministros das Finanças e presidentes dos bancos centrais do G20, em 28 e 29 de fevereiro, em São Paulo, para aumentar a tributação contra os chamados "super-ricos".

Uma pesquisa recente, segundo a Oxfam, mostrou que 75% dos milionários do G20 apoiam uma maior taxação e que mais da metade considera que a riqueza extrema seja uma "ameaça à democracia".

Além disso, a ONG aponta que, em países como Brasil, Estados Unidos, França, Itália e Reino Unido, os super-ricos pagam uma alíquota de imposto de renda menor que o trabalhador médio. (ANSA)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use