Taxa de desemprego na Itália sobe para 7,5% em fevereiro

No entanto, índice de ocupação também aumentou, beirando recorde

Protesto contra desemprego em Nápoles, sul da Itália (foto: ANSA)
Protesto contra desemprego em Nápoles, sul da Itália (foto: ANSA)

(ANSA) - A taxa de desemprego na Itália subiu para 7,5% em fevereiro, alta de 0,2 ponto percentual sobre o mês anterior, porém o índice de ocupação aumentou 0,1 ponto, para 61,9%, beirando o recorde de 62% registrado em dezembro passado.

Os números foram divulgados nesta quarta-feira (3) pelo Instituto Nacional de Estatística (Istat), que explica que a elevação simultânea do desemprego e da ocupação pode ser justificada pela contração de 0,2 ponto na taxa de inatividade da população, para 33%.

"Em fevereiro de 2024, após a queda registrada em janeiro, a ocupação voltou a subir devido ao crescimento nos contratos permanentes, que atingiram 15,969 milhões", disse o Istat.

A Itália contabilizava 23,773 milhões de pessoas empregadas em fevereiro, alta de 41 mil unidades (+0,2%) sobre janeiro e de 351 mil em relação a igual período do ano passado (+1,5%).

Ainda segundo o instituto, a taxa de desemprego entre jovens de até 24 anos subiu 0,7 ponto percentual, chegando a 22,8%. (ANSA)