Trégua entre Israel e Hamas é prorrogada por mais 2 dias

Itália defendeu a extensão para 'levar mais ajuda aos civis'

Crianças israelenses que foram soltas pelo Hamas (foto: Ansa)
Crianças israelenses que foram soltas pelo Hamas (foto: Ansa)

(ANSA) - O governo do Catar anunciou na tarde desta segunda-feira (27) que foi alcançado um acordo para estender a trégua entre Israel e o grupo fundamentalista islâmico Hamas em Gaza por mais dois dias.

A informação foi confirmada pelo porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Catar, Majed al Ansari, em uma publicação na rede social X (antigo Twitter).

"O Estado do Catar anuncia, como parte da mediação em curso, que foi alcançado um acordo para prolongar a trégua humanitária por mais dois dias na Faixa de Gaza", escreveu ele.

O Catar, um dos mediadores ao lado de Egito e Estados Unidos, tem mantido conversas com Hamas e Israel para resolver as divergências a respeito das listas e evitar atrasos.

O grupo fundamentalista islâmico também confirmou a informação, enfatizando que o Catar e o Egito negociaram um tratado para prolongar a trégua humanitária temporária por mais dois dias, com as mesmas condições da trégua anterior.

A paralisação, oficializada na última sexta-feira (24), entrou no seu quarto dia nesta segunda e prevê a libertação de reféns tanto pelo Hamas quanto por Israel, enquanto ambas as partes respeitam o acordo de cessar-fogo.

Mais cedo, o governo do Egito já havia adiantado que a negociação para prorrogar a trégua nos ataques de Israel à Faixa de Gaza estava em "estágio avançado". 

Segundo a TV israelense, citando a Al Jazeera como fonte, o Hamas já começou a entregar o quarto grupo de reféns, com nove crianças e duas mulheres, à Cruz Vermelha.

Itália

O ministro das Relações Exteriores da Itália, Antonio Tajani, disse que "seria positivo estender a trégua" entre Israel e o grupo fundamentalista Hamas "para levar mais ajuda aos civis" de Gaza.

Reféns

A Cruz Vermelha informou que pelo menos 11 reféns foram soltos pelo Hamas e estão a caminho do território israelense. O Ministério das Relações Exteriores do Catar, por sua vez, apontou que entre as pessoas libertadas estão argentinos, alemães e franceses.

Os reféns passarão por uma avaliação médica, mas depois serão acompanhados por militares israelenses até que se reencontrem com as suas famílias.

"Eitan, 12 anos. Erez, 12 anos. Sahar, 16 anos. Três dos nossos jovens compatriotas fazem parte do grupo de reféns libertados hoje. Estou extremamente feliz com este anúncio. Continuamos totalmente mobilizados para conseguir a libertação de todos os reféns", escreveu o presidente  da França, Emmanuel Macron. (ANSA)