Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Número de mortos em desabamento em Florença chega a 4

FLORENÇA, 17 fevereiro 2024, 12:14

Redação ANSA

ANSACheck

Acidente ocorreu na construção de unidade da rede de supermercados Esselunga - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - Chegou a quatro o número de mortos no desabamento em um canteiro de obras para a construção de um supermercado em Florença, no centro-norte da Itália, na última sexta-feira (16).

Um operário ainda está desaparecido, e o governador da Toscana, Eugenio Giani, disse que já é possível falar até em "cinco vítimas" devido ao fato de o trabalhador não ter dado nenhum sinal de vida sob os destroços.

"É certamente um balanço dramático", disse Giani a uma rádio local. O governador decretou luto regional pela tragédia, ocorrida na construção de uma unidade da Esselunga, uma das principais redes de supermercados do país.

O incidente foi provocado pela queda de uma viga da estrutura, que deu início a um efeito dominó na obra. Oito trabalhadores foram atingidos pelo desabamento, sendo que três - todos cidadãos romenos - tiveram apenas ferimentos.

Já os corpos tirados dos escombros são de um italiano e três imigrantes de origem norte-africana.

Segundo Luca Cari, dirigente nacional do Corpo de Bombeiros, as operações de busca pelo último desaparecido enfrentam "muitas dificuldades" porque os socorristas trabalham com "uma viga gigantesca sobre suas cabeças".

Nas redes sociais, a premiê Giorgia Meloni expressou "condolências pelas vítimas do desabamento", que provocou protestos de sindicatos em um país onde foram registradas mais de mil mortes em acidentes de trabalho em 2023.

"Esses incidentes são produtos do sistema de subcontratação e da lógica de contratos com preço mínimo", disse o secretário da Confederação Geral Italiana do Trabalho (Cgil), Maurizio Landini.

O Ministério Público de Florença abriu um inquérito por desabamento e homicídio culposos, ou seja, quando não há intenção de cometer os crimes.

Papa

O papa Francisco expressou condolências pelo desabamento em Florença neste sábado (17) e cobrou mais segurança para os trabalhadores.

Em telegrama enviado ao arcebispo metropolitano da capital toscana, cardeal Giuseppe Betori, o secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin, diz que o pontífice enviou "sentimentos de proximidade e luto aos familiares das vítimas, junto com sua mais forte participação na dor de toda a comunidade".

"Neste momento particularmente dramático, o papa Francisco deseja renovar o apelo pela segurança nos lugares de trabalho, desejando um maior empenho de todos que têm responsabilidade de tutelar os trabalhadores", afirma o texto.

No telegrama, Francisco ainda agradece a "todos aqueles que estão se esforçando nas operações de socorro". (ANSA)

 

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use

Último momento

404 Not Found

404 Not Found


nginx