Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Lula acusa Israel de 'genocídio' em Gaza e compara a Hitler

Presidente explicou decisão de aumentar contribuição à Unrwa

SÃO PAULO, 18 fevereiro 2024, 12:48

Redação ANSA

ANSACheck

Busca por vítimas de bombardeio israelense em Deir Al Balah, no sul da Faixa de Gaza © ANSA/EPA

(ANSA) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva acusou Israel de praticar um "genocídio" na Faixa de Gaza e comparou as mortes de palestinos com a matança de judeus promovida pelo nazista Adolf Hitler.

As declarações foram dadas em coletiva de imprensa na Etiópia, neste domingo (18), após o mandatário ter sido questionado sobre por que aumentaria a contribuição para a Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (Unrwa), acusada por Israel de abrigar colaboradores do grupo fundamentalista Hamas.

"É muito engraçado quando eu vejo o mundo rico anunciar que está parando de dar contribuição para a questão humanitária aos palestinos. Eu fico imaginando qual é o tamanho da consciência política dessa gente e qual o tamanho do coração solidário dessa gente, que não está vendo que, na Faixa de Gaza, não está acontecendo uma guerra, mas um genocídio", disse Lula.

Segundo o presidente, o conflito no enclave palestino não é "entre soldados", porém sim entre "um exército altamente preparado e mulheres e crianças".

"O que está acontecendo na Faixa de Gaza com o povo palestino não existe em nenhum outro momento histórico. Aliás, existiu quando Hitler resolveu matar os judeus", acrescentou.

O petista ainda declarou que, se houve algum erro na Unrwa, é preciso "apurar" para identificar os envolvidos. "Mas não suspenda a ajuda humanitária para um povo que está tentando há décadas construir seu Estado", salientou Lula, destacando que o Brasil "condenou o Hamas, mas não pode deixar de condenar o que Israel está fazendo na Faixa de Gaza".

Reação

O premiê de Israel, Benjamin Netanyahu, chamou de "vergonhosas e graves" as declarações do presidente brasileiro, que "diminuem o Holocausto e representam uma tentativa de atingir o povo judeu e o direito de defesa" do país.

"Comparar Israel e o Holocausto com os nazistas e Hitler cruza uma linha vermelha", acrescentou o primeiro-ministro.

Netanyahu e o ministro das Relações Exteriores Israel Katz ainda decidiram "convocar imediatamente" o embaixador do Brasil em Tel Aviv, Frederico Meyer, para expressar seu "repreensão" às falas de Lula. (ANSA)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use

Último momento

404 Not Found

404 Not Found


nginx