/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

UE pede que funcionários não usem IA para documentos sensíveis

Documento foi enviado de maneira interna

BRUXELAS, 31 maio 2023, 17:22

Redação ANSA

ANSACheck

UE prepara legislação para setor de inteligência artificial © ANSA/EPA

(ANSA) - A Comissão Europeia enviou um comunicado interno pedindo para que os funcionários não usem softwares de inteligência artificial (IA) para redigir "textos públicos, em particular, os que são juridicamente vinculantes" e "para processos críticos e urgentes".

Segundo a comunicação, vista pela ANSA nesta quarta-feira (31), o texto ainda ressalta explicitamente nomes de softwares, como no caso do ChatGPT.

"Os funcionários nunca devem compartilhar informações que já não estejam em domínio público, nem dados pessoais, com modelos de IA gerados e disponíveis online", diz o documento que ressalta que, nos casos permitidos, deve-se "avaliar criticamente " os resultados produzidos pelo software.

Há meses, há debates em comissões do Parlamento Europeu sobre um código ou uma legislação para regulamentar o uso de IA na União Europeia. Entre as medidas já aprovadas, está a proibição do uso de softwares de IA em câmeras de vigilância em áreas públicas de todos os países do bloco.

Também nesta quarta, a vice-presidente da Comissão, Margrethe Vestager, e o secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, anunciaram que será apresentado "nas próximas semanas" um primeiro rascunho com um "código de conduta sobre inteligência artificial" conjunto.

O documento será aberto às empresas do setor de "forma voluntária" e também para "todos os países que compartilham as mesmas ideias", ressaltou Blinken.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use